Fique atento! Informação não é conhecimento e conhecimento não é sabedoria

Conhecimento
Informação não é conhecimento e conhecimento não é sabedoria.

Caro leitor,

Esse é o primeiro artigo do blog. Seja Bem-vindo!

Por que eu começaria um trabalho sobre Finanças Pessoais tratando de um assunto que, à primeira vista, não parece estar ligado? Afinal, que informação não é conhecimento você já deve saber há muito tempo, certo?

Vivemos na era da informação, nos primeiros 40.000 anos da humanidade produzimos a mesma quantidade de informação que o ano de 2002, e esse número dobra a cada ano! É tanta informação produzida que é cada vez mais difícil conseguir selecionar, filtrar, absorver e aplicar todo esse conhecimento que adquirimos. Além disso, também é importante verificar a idoneidade e a veracidade de cada uma dessas informações. Com isso em mente, o intuito desse site é mediar o acesso à informação, principalmente sobre finanças pessoais e investimentos, para facilitar a absorção e transformar a informação em conhecimento.

Porque estamos diariamente ligados à notícias financeiras, a economia é assunto frequente nos jornais, assistimos programas de investimentos e finanças e trocamos experiências com pessoas próximas, é comum acreditar que estamos acumulando conhecimento suficiente para sermos bem-sucedidos no mundo das finanças pessoais e investimentos. Infelizmente, a realidade é que tudo que acumulamos são novas informações. Muitas pessoas sabem que é praticamente impossível tornar-se médico ou advogado somente lendo notícias na Internet e assistindo noticiários na TV. É preciso anos de uma educação formal, treinamento e experiências práticas para ser bem sucedido nesses ramos. Por isso, se você tem um problema médico ou legal para resolver, você vai procurar um especialista na área que tenha demonstrado conhecimento e é bem reconhecido pelos colegas e pelo mercado, ou procurará mais de um especialista para uma segunda opinião, por exemplo.

“Informação não é conhecimento e conhecimento não é sabedoria.” (tweet isso)

Porém, quando trata-se de assuntos não menos importantes como sua saúde financeira, poucos ainda fazem esse paralelo. Ainda não é de entendimento geral que no mercado financeiro alguém é chamado de “expert” sem que haja uma educação prévia, conhecimento e experiências relevantes, mas simplesmente por “aprender fazendo” ou se auto-proclamando um “expert”. Verdade seja dita, muitos “experts” acreditam que o fato de aprender fazendo os qualificam para o status de “gurus”. Além disso, também é verdade que encorajados pela vasta quantidade de informação sobre investimentos e finanças pessoais disponível, cada vez mais pessoas ganham confiança para cuidar de suas próprias economias ou para encontrar um bom profissional que cuidará das finanças para elas. Só que também existe uma grande indústria de serviços financeiros e outros “experts” com um forte interesse em manter essas pessoas ignorantes no assunto e assim continuar a vender seus produtos. Portanto, quando o assunto é sua vida financeira, você deve ter muita atenção e entender o mínimo para não ser ludibriado.

Um bom planejamento financeiro

Como um dos nossos valores, o Dinamismo, visamos dentre as diversas variáveis possíveis (informações), encontrar o melhor meio de ajudar o cliente (você com conhecimento!). Tudo isso motivado pela jornada de aprendizado e mudança de comportamento que esse conhecimento trará para você, fazendo com que as metas, objetivos e sonhos realizados sejam feitos com mais empenho e despertem o sentimento de significado em suas futuras conquistas.

Um bom planejamento financeiro começa com o autoconhecimento a fim de conseguir atingir resultados eficazes. Uma vez que todos temos algum objetivo, seja comprar uma casa, viajar, casar, ter um filho, um carro, investir, poupar mais dinheiro, abrir uma empresa, entre tantos outros sonhos. Somos motivados pelas conquistas que já alcançamos e pelas próximas conquistas que queremos e vamos alcançar. Isso significa que com mais conhecimento sobre você e quais são seus reais objetivos, fica mais fácil traçar um plano para que eles efetivamente sejam atingidos. Por isso, durante esse processo, pode começar a fazer mais sentido algumas mudanças de comportamento, que quando não atrelados a um significado verdadeiro, continuam sendo repetidos de forma automática e ineficiente.

Espero que você desfrute de nossos conteúdos e que eles sejam de grande valia para seu crescimento financeiro.

E você já começou estudar em finanças pessoais e investimentos? Sim? Não? Deixe um comentário abaixo contando sua experiência ou entre em contato conosco.

  • Luana Martins

    Concordo em todos os pontos abordados Fiorelli, e acredito que educação financeira deveria ser ensinada na escola também para que as pessoas tenham conhecimento sobre o dinheiro e autoconhecimento na fase adulta para investir em sua felicidade e não em ter para outros verem….. Parabéns pelos artigos e iniciativa, que muitos possam ser instruídos por este recurso!!!

    • Obrigado pelo comentário @Luana! Todos devem ter mais conhecimento financeiro, afinal trabalhamos tanto para ganhar e gastamos tão pouco tempo gerindo e planejando nosso dinheiro.