Pergunta do leitor #1: Imprevistos financeiros! 2 estratégias simples para se precaver

Imprevistos acontecem

Imprevistos acontecem: aprenda a se planejar!

Estimulado por uma pergunta que recebi da leitora Bárbara, resolvi escrever um post para que mais pessoas possam se beneficiar da resposta.

A pergunta foi: “Também faço {um orçamento doméstico}, gosto bastante de me programar e estipular metas de curto, médio e longo prazo. No entanto, tenho uma dúvida: qual é a melhor forma de lidar com os imprevistos? Por exemplo: se em um determinado mês eu não conseguir guardar o valor x que eu sempre guardo, como se “programar” para isso não acontecer, principalmente em tempos de crise, como esse que estamos vivendo? Obrigada e parabéns pela página aqui no face! :)”

Olá Bárbara,

imprevistos sempre acontecem não é mesmo? E se não tivermos um bom porto seguro, podem causar um belo estrago em nosso orçamento que pode perdurar por anos. Às vezes pode ser uma pequena reforma na casa, uma multa de trânsito, o esquecimento de uma conta que chega pelo correio, como o IPTU e o IPVA ou algo mais grave como uma demissão ou a perda de um contrato importante na empresa.

Eu entendo você e sua pergunta foi muito pertinente, pois como se programar para algo que não estamos esperando? Para responder sua dúvida, vou separar o problema em dois: os Imprevistos Programáveis, que requerem uma estratégia Proativa de resolução e os Inesperados  que vamos atacar com uma Estratégia Defensiva.

Veja abaixo como funciona cada uma delas.

Imprevistos Programáveis ➡ Estratégia Proativa

Imprevistos programáveis são as contas recorrentes esperadas para um determinado mês do ano ou compras futuras que podem ser agendadas para os próximos períodos do ano. Por exemplo, renovação do seguro do carro, IPTU, IPVA, matrícula da escola/faculdade, entre outros.

Você deve fazer um Orçamento Doméstico com uma Visão Futura de quanto você vai ganhar e gastar nos próximos 12 meses. Veja como funciona, vamos supor que você fez uma compra de uma roupa no valor de R$ 90,00 parcelada em 3x. Nos próximos 3 meses, você já sabe que terá um valor R$ 30,00 retirado de sua conta, coloque no orçamento. Em janeiro, você sabe que chegará IPTU e IPVA, insira no orçamento. Em dezembro, receberá seu 13°? Insira no orçamento. E vá fazendo isso com cada uma das contas que forem aparecer!

Nessa estratégia Proativa, você terá um panorama futuro com todas as entradas e saídas e poderá se programar reservando um dinheiro para essas obrigações, ficando em paz com seu orçamento e sem preocupações futuras.

“É sempre prudente olhar em frente, mas é difícil olhar para mais longe do que pode ver-se.” Winston Churchill (Compartilhe twitter24  facebook24)

Imprevistos inesperados ➡ Estratégia Defensiva

E para aqueles imprevistos que não conseguimos prever, como uma demissão do emprego, queda no faturamento da sua empresa ou um acidente que a impossibilite de trabalhar por um longo período? Para esses casos usamos uma Estratégia Defensiva, que você pode atacar de duas formas: uma Reserva de Emergência e um bom Seguro de Vida (morte ou invalidez).

Ter uma boa Reserva de Emergência é guardar, pelo menos, 6 meses de seus ganhos mensais. Digo, pelo menos, pois se você é uma profissional liberal ou uma empreendedora e não tem uma entrada fixa todo mês esse valor deve ser um pouco maior, como 12 meses de seus ganhos médios mensais, mas se por acaso você é uma funcionária pública, esse valor pode ser um pouco menor, como 4 meses.

O importante da Reserva de Segurança é que seja um dinheiro de fácil acesso, mas que só deve ser usado, como o nome bem diz, em EMERGÊNCIAS! Por isso, se você tiver que fazer uma retirada, nos próximos meses, faça um plano para aplicar o valor retirado e a Reserva volte ao patamar inicial.

No seu caso, você disse que já guarda um dinheiro todo mês, portanto deve colocar essa Reserva em uma aplicação de liquidez diária e de fácil acesso, como a poupança ou Tesouro SELIC. Para adequar essa estratégia ao momento do país, você pode deixar um valor um pouco maior caso sua renda possa ser interrompida por um período maior que poderá aguentar.

Ademais, caso o imprevisto seja mais grave, que a impossibilite de trabalhar por um período maior, um bom Seguro pode ser contratado para cobrir qualquer despesa que você ou sua família possa precisar. No caso de você ter dependentes econômicos essa pode ser a salvação para um período mais turbulento em sua vida.

“A sorte combate sempre ao lado do prudente.” Eurípedes (Compartilhe twitter24  facebook24)

Conclusão

Beneficie-se tanto da estratégia proativa como da defensiva e planeje-se para os imprevistos! Isso deve ser feito em qualquer cenário.

E você? Consegue se programar para imprevistos? Ficou com dúvida sobre como se programar? Conte nos comentários sua experiência.