Parte 2: Como se organizar para a chegada de um filho

Esta é a continuação do post de ontem sobre a história da Fernanda! Nele, tratei sobre a importância e o impacto de se dar um bom conselho, com empatia e atenção. Fazendo com que a pessoa se sinta ouvida e ajudada. Nesse artigo, vou falar sobre as alternativas que a Fernanda e outras pessoas têm para se preparar para a chegada de um filho.

Se você não leu o artigo anterior, vai lá clique aqui, eu te espero!

Em resumo, eu analisei uma ótima matéria passada no Fantástico no domingo de páscoa. O quadro trata a história da Fernanda, solteira, com 35 anos que tem como sonho ter um filho e não sabe se a melhor opção é esperar por um pai ou fazer uma inseminação artificial, que custa em torno de R$ 15.000,00. Ela ganha aproximadamente R$2000 por mês e consegue fazer sobrar R$ 960.
A pergunta que é feita no programa é “Será que Fernanda deve fazer uma inseminação artificial ou continuar procurando um parceiro e pai para seu futuro filho?”.

Ficou interessado em saber que alternativas que a Fernanda e outras Fernandas por aí tem para se planejar em ter um filho e como fazer um bom planejamento financeiro nessa fase tão importante da vida? Então, continue lendo esse artigo!

Muitas mulheres, ao passar a barreira dos 30 anos, pensam em ter filhos. A chance de engravidar diminui com o passar do tempo e parece que o relógio biológico apita e começa uma guerra contra o tempo de realizar esse sonho.

Falando em sonhos, filho também é planejamento financeiro! É possível se programar, juntar dinheiro e começar essa nova vida com muito mais fôlego e prazer.

Vamos ver como ajudar a Fernanda?

Como a Fernanda conseguiria realizar o sonho de ter um filho?

Vejo 3 formas dela tentar realizar esse sonho. Duas foram retratadas no programa, inseminação artificial e “continuar procurando um parceiro e pai”, a outra forma é a adoção. O que eu quero mostrar é que existem outras possibilidades além das que foram dadas no início. É preciso perguntar à pessoa o quão confortável ela ficaria com cada uma das soluções e a resposta não deve ser tomada “de cabeça quente”, depois montamos um plano com todos os cenários.

Talvez você tenha pensado em outras alternativas. Deixe um comentário logo depois do artigo!

Em todos os casos, ela deveria ter uma  de aproximadamente 6 meses do seu salário, aproximadamente R$ 15.000,00, para imprevistos na vida dela ou da criança. Como ela consegue fazer sobrar, R$ 960, em 15 meses ela conseguiria juntar esse dinheiro. Somados aos R$ 15.000,00 da inseminação, ela demoraria mais 15 meses para juntar esse valor, sem considerar nenhum rendimento de aplicação, ou seja em 2 anos e meio ela teria juntado R$ 30.000,00 e teria um pouco de fôlego para criar a criança com mais tranquilidade. Se ela quiser encurtar esse período, ela pode não só aumentar sua renda, prestando consultorias ou dando aulas, como também reduzir suas despesas.

ATENÇÃO!! A reserva de segurança é para imprevistos e não para gastar com roupinhas de bebê, carrinho, brinquedos e mimos. Itens de consumo podem ser comprados em uma loja mais barata fora do shopping, por exemplo.

Nesse meio tempo, ela tem tempo suficiente para se organizar em aprender sobre as dificuldades de ser uma mãe solteira, procurar um plano de saúde para tratamento durante a gestação e do nascimento do bebê, entender e cogitar uma adoção e também fazer um planejamento para criar essa criança de maneira mais tranquila. E, ainda por cima, tem um tempo a mais para tentar encontrar um parceiro para seguir a vida com ela.

Dessa forma, ela consegue investir não só no futuro do bebê, como também no dela, afinal os bebês crescem e um dia saem de casa. E os pais, como ficam?

Conclusão

Portanto, Fernanda e outras Fernandas por aí, cada passo dado em direção ao sonho é uma maravilha, e não deve ser temido. É empolgante!

Isso porque quando cada passo é dado lentamente, pode ser degustado com mais prazer e feito com mais dedicação. Isso torna o menor passo dado, a menor coisa feita, um passo a menos para o sonho e mais um aprendizado na preparação para esse novo desafio.

O que achou do artigo? Concorda ou não concorda? Cadastre-se para receber nossas novidades e comente abaixo qual a sua opinião!

Fontes utilizadas:

Imagens: http://www.pixabay.com